banner_fornecedores

Atividade industrial paulista mostra reação em maio, aponta Fiesp e Ciesp
A indústria paulista de transformação mostrou reação positiva em maio, após dois meses de quedas generalizadas em março e abril. O Levantame... Leia mais.

Confiança empresarial recupera 61% das perdas do bimestre março-abril
O Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 16,7 pontos em junho, para 173,6 pontos. Com a segunda q... Leia mais.

Estudo da Juntos Somos Mais mostra a expectativa dos varejistas no pós-crise
Pesquisa realizada pela Juntos Somos Mais, ecossistema do varejo da construção civil, que contempla mais de 75 mil varejistas e mais de 20 e... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Entidades da construção civil publicam manifesto a favor da engenharia nacional


Com o objetivo de propor melhorias na Lei de Licitações e preservar os avanços tecnológicos e de competitividade alcançados pelo setor da construção civil, oito entidades de engenharia publicaram nesta terça-feira (12) um manifesto em defesa da profissão. Participam da iniciativa o Instituto de Engenharia (IE-SP), os Clubes de Engenharia do Ceará (CE-CE), do Pará (CE-PA), de Pernambuco (CE-PE) e do Brasil (CE-Brasil), o Instituto de Engenharia do Paraná (IEP), a Sociedade de Engenharia do Rio Grande do Sul (Sergs) e a Sociedade Mineira de Engenheiros (SME).
O documento aponta que, entre as principais dificuldades enfrentadas pelos engenheiros, está a falta de planejamento do setor público e a contratação de obras sem estudo de projetos, o que favorece desvios. Nesse contexto, o grupo aponta o projeto de engenharia como instrumento básico para se construir com qualidade, no prazo e no custo adequado. A valorização da etapa de projeto é, segundo as entidades que assinam o manifesto, o "antídoto que o Brasil precisa para evitar desvios e obra mal acabadas".
Além disso, afirma o texto, o Estado como contratante de obras de infraestrutura, sofre com a influência do processo político, "que imprime uma visão de curtíssimo prazo, de olho no calendário eleitoral, incompatível com as necessidades da boa engenharia".
Entre as mudanças propostas para os procedimentos de contratação dos órgãos da administração pública, está o cumprimento das exigências relacionadas aos estudos de planejamento, viabilidade técnica, anteprojetos e projetos básicos e executivos; a liberação de licenças ambientais com antecedência aos projetos; a redução no número de contratações pelo menos preço e por pacotes de obras; e a valorização da competência técnica da engenharia nacional.