banner_fornecedores

Atividade industrial paulista mostra reação em maio, aponta Fiesp e Ciesp
A indústria paulista de transformação mostrou reação positiva em maio, após dois meses de quedas generalizadas em março e abril. O Levantame... Leia mais.

Confiança empresarial recupera 61% das perdas do bimestre março-abril
O Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 16,7 pontos em junho, para 173,6 pontos. Com a segunda q... Leia mais.

Estudo da Juntos Somos Mais mostra a expectativa dos varejistas no pós-crise
Pesquisa realizada pela Juntos Somos Mais, ecossistema do varejo da construção civil, que contempla mais de 75 mil varejistas e mais de 20 e... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Nível de emprego na construção cresce em julho


Pesquisa do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) e da Fundação Getulio Vargas (FGV) divulgada nesta sexta-feira (6) mostra que o nível de emprego na construção civil brasileira cresceu 0,19% em julho ante o mês anterior, com a abertura de mais 6,5 mil vagas. Em relação ao mesmo período em 2012, porém, o volume de contratações registrou queda de 0,84%.
Ao todo, no acumulado do ano, 122,1 mil trabalhadores foram contratados, um recuo de 6,98% em relação o mesmo período em 2012, quando foram registradas 221,5 mil admissões. Nos 12 meses encerrados em julho, por sua vez, o indicador mostra queda de 0,10% (3.610 demissões).
Em julho, segundo o SindusCon-SP, o setor empregava 3,495 milhões de trabalhadores da construção civil em todo País. O Sudeste concentrava 1,768 milhão empregados; seguido pelo Nordeste (725,5 mil); Sul (492,6 mil); Centro-Oeste (288,6 mil) e Norte (220,7 mil).
Estado de São Paulo
As empresas da construção em São Paulo somavam 899,1 mil empregados com carteira assinada em julho, valor 0,17% menor do que junho. No acumulado do ano, no entanto, a construção paulista teve alta de 3,74%, contratando mais 32,4 mil trabalhadores. Já na comparação de 12 meses, o estado registrou mais 3,1 mil contratações (+0,35%).