banner_fornecedores

Indústria de material de construção tem fevereiro regular, apura Abramat
A Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) acaba de divulgar a nova edição do Termômetro da Indústria de Mate... Leia mais.

Mortes por choques elétricos aumentam 12% no Brasil, apura Abracopel
Choques elétricos são verdadeiros riscos e o que muitas pessoas não sabem é que eles podem levar à morte. De acordo com Anuário Estatístico ... Leia mais.

Covid-19 causa impacto expressivo na confiança do consumidor em março
O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 7,6 pontos em março, para 80,2 pontos, o menor valor desde j... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Empresários da construção estão mais otimistas em agosto, segundo SindusCon-SP e FGV


O otimismo dos empresários do setor com relação ao desempenho de suas construtoras nos próximos meses aumentou 1,7% em agosto em comparação a julho. Nos três últimos meses, outro segmento que registrou melhora foi os custos setoriais, que apresentou alta de 9% em relação ao igual período anterior. Os dados são da 56ª Sondagem Nacional da Indústria da Construção Civil, divulgada nesta terça-feira (17) pelo Sindicato da Indústria da Construção de São Paulo (SindusCon-SP) e pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).
Em contrapartida, no acumulado de doze meses, o levantamento apresenta queda de 2,3% no otimismo dos empresários para os próximos meses. Além disso, a percepção com relação ao desempenho das empresas teve com declínio de 0,6% em relação ao trimestre anterior e de 3,1% na comparação interanual.
De acordo com a pesquisa, outro indicador que manteve a tendência de piora foi o de dificuldades financeiras, que chegou a 51,8 pontos. Nesse caso, em particular, valores abaixo de 50 significam dificuldades menores.
O pessimismo dos empresários com relação às perspectivas da economia se também se aprofundou. No levantamento de agosto, o indicador caiu 27,2% comparado ao trimestre anterior e 27,9% em 12 meses. No Estado de São Paulo, a queda foi ainda mais expressiva: 31% no comparativo com o trimestre anterior e de 32% em 12 meses.