banner_fornecedores

Após três quedas consecutivas, indústria eletroeletrônica registra crescimento
Maio último mostrou-se um mês positivo para a indústria elétrica e eletrônica. Dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Est... Leia mais.

Monitor do PIB aponta crescimento de 0,7% da atividade econômica em maio
O Monitor do PIB-FGV aponta crescimento de 0,7% da atividade econômica em maio, na comparação com abril, na análise da série dessazonalizada... Leia mais.

Confiança do empresário do comércio volta a crescer após quatro meses, diz CNC
De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), após ter alcançado o menor patamar da série histórica n... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Novas construções deverão destinar 5% das vagas de estacionamento para bicicletas e motos em Curitiba


Os edifícios residenciais e as áreas de uso não habitacional de Curitiba, como comércio e serviços, terão que reservar 5% das vagas de estacionamento para bicicletas e motos. O decreto que regulamenta a Lei Municipal nº 6.273/1981 foi assinado na última terça-feira (11) pelo prefeito Gustavo Fruet. A medida vale para as construções novas e será requisito para a liberação do alvará de construção aos projetos encaminhados para aprovação a partir da data de assinatura do documento.
O decreto determina que a área destinada às vagas para bicicletas e motos deverá ser preferencialmente contínua, com espaço inscrito em área mínima de três m² e pé-direito com altura mínima de dois m². Para as habitações coletivas o espaço destinado poderá ser de dois m² para as bicicletas fixadas com ganchos de pendurar deslizantes. Esse espaço deve estar localizado preferencialmente próximo aos acessos de entrada e saída dos estacionamentos e ser sinalizado graficamente quanto ao acesso.
Nas edificações comerciais e de prestação de serviços, ainda deverá ser afixada, em local visível, placa informando que o local tem vagas para estacionamento de bicicletas e motos. Nesses casos, exige-se que essa área reservada tenha meios para fixação de bicicletas com segurança e que os locais para guarda dos veículos tenham paraciclos ou barras de ferro rígidas e chumbadas no piso, sem pontas ou arestas.
O documento prevê ainda que as bicicletas e motos poderão ter acesso compartilhado com os automóveis, da rua até a área do estacionamento. Entretanto, quando houver o cruzamento com a área destinada a automóveis, o espaço reservado deverá contar com uma circulação livre de no mínimo 1,2 metro.