banner_fornecedores

Indústria de material de construção tem fevereiro regular, apura Abramat
A Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) acaba de divulgar a nova edição do Termômetro da Indústria de Mate... Leia mais.

Mortes por choques elétricos aumentam 12% no Brasil, apura Abracopel
Choques elétricos são verdadeiros riscos e o que muitas pessoas não sabem é que eles podem levar à morte. De acordo com Anuário Estatístico ... Leia mais.

Covid-19 causa impacto expressivo na confiança do consumidor em março
O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 7,6 pontos em março, para 80,2 pontos, o menor valor desde j... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Programa de Aceleração do Crescimento 2 já aplicou R$ 583 bilhões em obras


O Ministério do Planejamento divulgou nesta terça-feira (18) que a segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento 2 (PAC 2) já aplicou R$ 583 bilhões em infraestrutura de energia, logística, social e urbana até 30 de dezembro de 2013. O resultado representa uma alta de 19,4% frente ao balanço anterior, divulgado em outubro do ano passado. Este é o terceiro levantamento da segunda fase do programa.
Com isso, o Governo Federal implantou 82,3% das ações previstas e gastou 76,1% do orçamento do período entre 2011 e 2014. Em 2013, o investimento ficou na marca de R$ 301 bilhões, 12% maior do que no ano anterior. Em termos globais, considerando a primeira fase do programa, foram R$ 773,4 bilhões de investimento até 31 de dezembro do ano passado.
Pelo levantamento, das obras previstas, 43% estão concluídas. Outros 46% estão em ritmo adequado, 7% merecem atenção e 4% estão em situação preocupante. A segunda fase do PAC 2 tem prazo final em dezembro de 2014.
Do valor total de execução do programa, R$ 206,7 bilhões foram executados pelas empresas estatais e R$ 146,4 bilhões pelo setor privado. Os recursos do Orçamento Geral da União somaram R$ 78,9 bilhões, o Programa Minha Casa, Minha Vida representa R$ 73,9 bilhões e o financiamento ao setor público, R$ 11,4 bilhões. Outros R$ 253,8 bilhões correspondem ao financiamento habitacional.