banner_fornecedores

Atividade industrial paulista mostra reação em maio, aponta Fiesp e Ciesp
A indústria paulista de transformação mostrou reação positiva em maio, após dois meses de quedas generalizadas em março e abril. O Levantame... Leia mais.

Confiança empresarial recupera 61% das perdas do bimestre março-abril
O Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 16,7 pontos em junho, para 173,6 pontos. Com a segunda q... Leia mais.

Estudo da Juntos Somos Mais mostra a expectativa dos varejistas no pós-crise
Pesquisa realizada pela Juntos Somos Mais, ecossistema do varejo da construção civil, que contempla mais de 75 mil varejistas e mais de 20 e... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Nova norma de projeto de estruturas de concreto entra em vigor


Entra em vigor no dia 29 de maio a nova NBR 6118 - Projeto de Estruturas de Concreto - Procedimento, publicada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) em abril. A normativa, que trata especificamente de projetos de concreto simples, armado e protendido, começou a ser revisada no ano passado pela comissão de estudos CE 02:124.15. A última revisão da NBR 6118 havia sido feita em 2007.
A principal mudança ocorrida agora no conteúdo da norma é a introdução do concreto de resistência acima de 50 MPa, que já é utilizado em obras importantes mas não havia formulação específica. No novo texto, é incluso todo o detalhamento para o concreto de resistência de 55 MPa a 90 MPa.
Durante a discussão do texto, foi detectada necessidade de estudo em alguns itens que serão analisados na próxima revisão. De acordo com a engenheira Suely Bueno, que coordenou a comissão de estudos, a norma de projeto de estruturas de concreto é a primeira a ser estudada de maneira contínua.
"O importante é a mudança de sistemática que estamos implantando. Teremos a primeira reunião técnica para estabelecermos uma lista de assuntos que deverão ser abordados numa próxima revisão para podermos estabelecer um cronograma de trabalho", explica Suely.
Ainda segundo Suely, por ser um texto de cerca de 400 páginas, o período de um ano exigido para publicação não foi longo. "É uma norma muito complexa com inúmeras fórmulas e gráficos que demandou um esforço muito grande da nossa parte e por parte da ABNT para chegarmos à configuração final", completa a engenheira.