banner_fornecedores

Indústria de material de construção tem fevereiro regular, apura Abramat
A Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) acaba de divulgar a nova edição do Termômetro da Indústria de Mate... Leia mais.

Mortes por choques elétricos aumentam 12% no Brasil, apura Abracopel
Choques elétricos são verdadeiros riscos e o que muitas pessoas não sabem é que eles podem levar à morte. De acordo com Anuário Estatístico ... Leia mais.

Covid-19 causa impacto expressivo na confiança do consumidor em março
O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 7,6 pontos em março, para 80,2 pontos, o menor valor desde j... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Caixa financiou seis mil imóveis por dia no primeiro trimestre do ano


No primeiro trimestre de 2014, a Caixa Econômica Federal fechou uma média diária de seis mil contratos de financiamento imobiliário, o que equivale a R$ 428,3 milhões em negócios por dia. Entre janeiro e março, o volume contratado somou 26,6 bilhões, sendo R$ 8,8 bilhões destinados ao Programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal. Os dados foram divulgados na última semana pelo banco.
O número de contratações feitas pelo Minha Casa, Minha Vida totaliza 112 mil unidades habitacionais, representando um terço do total financiado. Cerca de 40% das unidades foram para beneficiários da faixa 1 do programa, com renda de até R$ 1,6 mil.
Com o resultado do primeiro trimestre, a Caixa manteve a liderança do mercado, com participação de 68%. A previsão é de que o banco conceda entre R$ 150 e R$ 155 bilhões em empréstimos habitacionais em 2014.
O segmento habitacional responde por 54,7% da carteira total de crédito da instituição, que cresceu 29,1% entre janeiro e março e chegou a R$ 284,2 bilhões.
Em outro balanço sobre o primeiro trimestre de 2014, a Caixa divulgou seu lucro líquido, que cresceu 15,3% em relação ao primeiro trimestre do ano passado e chegou a R$ 1,5 bilhão. A carteira total de financiamentos avançou 33% entre janeiro e março e chegou a R$ 519,8 bilhões. Já o índice de inadimplência superior a 90 dias cresceu 0,3 pontos percentuais no primeiro trimestre, e alcançou 2,6%.