banner_fornecedores

Após três quedas consecutivas, indústria eletroeletrônica registra crescimento
Maio último mostrou-se um mês positivo para a indústria elétrica e eletrônica. Dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Est... Leia mais.

Monitor do PIB aponta crescimento de 0,7% da atividade econômica em maio
O Monitor do PIB-FGV aponta crescimento de 0,7% da atividade econômica em maio, na comparação com abril, na análise da série dessazonalizada... Leia mais.

Confiança do empresário do comércio volta a crescer após quatro meses, diz CNC
De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), após ter alcançado o menor patamar da série histórica n... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Com Copa e demanda fraca, indústria muda jornada e até dá férias coletivas


Muitos trabalhadores da indústria poderão assistir aos jogos da Copa em casa. E não só os do Brasil. Mas não necessariamente por vontade própria. A desaceleração da economia, associada à fraca demanda e aos feriados durante o período do mundial, levou fábricas de diferentes áreas, especialmente as de bens duráveis (como carros), a dar férias coletivas aos empregados ou a mudar a jornada de trabalho neste mês de junho.

Entre os setores que decidiram dar ou antecipar férias coletivas, além do automotivo, estão os de eletrodomésticos, eletrônicos e de móveis.

Um levantamento da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), por exemplo, aponta que 58% das empresas do setor eletroeletrônico estão prevendo perdas em sua produção durante a Copa e que 33% das companhias estão preparando jornada especial no período, numa tentativa de amenizar as perdas.

O próprio ministro da Fazenda, Guido Mantega, já admitiu que, ao contrário do esperado para o setor de serviços, a indústria poderá ter “algum prejuízo” com a Copa.