banner_fornecedores

Atividade industrial paulista mostra reação em maio, aponta Fiesp e Ciesp
A indústria paulista de transformação mostrou reação positiva em maio, após dois meses de quedas generalizadas em março e abril. O Levantame... Leia mais.

Confiança empresarial recupera 61% das perdas do bimestre março-abril
O Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 16,7 pontos em junho, para 173,6 pontos. Com a segunda q... Leia mais.

Estudo da Juntos Somos Mais mostra a expectativa dos varejistas no pós-crise
Pesquisa realizada pela Juntos Somos Mais, ecossistema do varejo da construção civil, que contempla mais de 75 mil varejistas e mais de 20 e... Leia mais.


Usuário:
Senha:


O sonho da casa própria está acontecendo cada vez mais cedo



A concretização do sonho da casa própria está acontecendo cada vez mais cedo. Uma pesquisa com dados de 2013 e 2014, aponta que a idade média do comprador do primeiro imóvel vem caindo. Em 2011, os jovens com idade entre 21 e 25 anos representavam 4,4% dos clientes da empresa, número que saltou para 26,5% no último ano.

Hoje, a taxa de clientes abaixo dos 30 anos representa mais da metade, quase o dobro de 2011 (28,3%). Segundo Gustavo Selig, presidente da Associação dos Dirigentes das Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi-PR), essa mudança também tem aparecido nas pesquisas da entidade e é estimulada, principalmente, pela oferta de crédito e o prazo mais longo para os financiamentos. 

Outro fator de estímulo à compra são as condições comerciais oferecidas pelas construtoras. Hoje, o cliente pode parcelar em até 60 vezes a diferença entre o preço do imóvel e o valor que ele consegue financiar, que precisa ser paga à construtora.

Também chama a atenção entre os novos compradores, o aumento do número de solteiros. Nos empreendimentos comercializados, eles já representam 73,3% dos clientes, contra os 54,1% em 2011. São jovens que querem sair da casa dos pais em busca da independência social e financeira.

Há ainda os que veem a compra como opção de investimento. É o caso da vendedora Gisleine Rocha. Com 23 anos de idade, ela mora com os pais e comprou seu apartamento na planta há cinco meses. “A facilidade proporcionada pelo financiamento [pelo programa Minha Casa, Minha Vida] foi o que me motivou”, avalia a jovem, que já incentivou os colegas a fazerem o mesmo. “Tenho três amigos que vão morar no mesmo condomínio onde comprei meu apartamento”, acrescenta.

Os imóveis de médio e alto padrão também estão entrando no radar dos jovens. A aquisição desse tipo de imóvel, que antes ocorria por volta dos 35 anos, já começa a acontecer a partir dos 27.

Da Redação, original Gazeta do Povo.