banner_fornecedores

Atividade industrial paulista mostra reação em maio, aponta Fiesp e Ciesp
A indústria paulista de transformação mostrou reação positiva em maio, após dois meses de quedas generalizadas em março e abril. O Levantame... Leia mais.

Confiança empresarial recupera 61% das perdas do bimestre março-abril
O Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 16,7 pontos em junho, para 173,6 pontos. Com a segunda q... Leia mais.

Estudo da Juntos Somos Mais mostra a expectativa dos varejistas no pós-crise
Pesquisa realizada pela Juntos Somos Mais, ecossistema do varejo da construção civil, que contempla mais de 75 mil varejistas e mais de 20 e... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Secovi-SP divulga dados do mercado imobiliário em julho


A comercialização de imóveis novos residenciais na cidade de São Paulo em julho totalizou 736 unidades, com variação de -31,3% em relação a junho, quando foram vendidos 1.072 imóveis.

Os dados são da Pesquisa Secovi-SP do Mercado Imobiliário Residencial, realizada mensalmente pelo departamento de Economia e Estatística, que apurou, em valores comercializados, o montante de R$ 378 milhões, uma variação de -31,5% diante dos R$ 551,2 milhões percebidos no mês anterior.

O indicador VSO (Vendas sobre Oferta) foi de 50,4%. O VSO representa a divisão do total de unidades vendidas em 12 meses pelo volume ofertado no período (saldo anterior somado ao total lançado em 12 meses).

Das 736 unidades comercializadas, 537 se encontravam na fase de lançamento, ou seja, dentro do período de 180 dias desde o momento em que o produto é lançado. Isso significa que 73% dos imóveis vendidos no mês tinham até seis meses de oferta.

Com relação ao tipo do imóvel, o segmento de 2 dormitórios liderou as vendas com 392 unidades (53,3%) do total. As unidades de 1 dormitório e de 3 dormitórios praticamente empataram em vendas, com 22,1% e 22,0% de participação, respectivamente, 163 e 162 unidades negociadas.

De acordo com a pesquisa, no sétimo mês do ano, a oferta final de imóveis não vendidos ficou em 21.232 unidades.