banner_fornecedores

Indústria de material de construção tem fevereiro regular, apura Abramat
A Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) acaba de divulgar a nova edição do Termômetro da Indústria de Mate... Leia mais.

Mortes por choques elétricos aumentam 12% no Brasil, apura Abracopel
Choques elétricos são verdadeiros riscos e o que muitas pessoas não sabem é que eles podem levar à morte. De acordo com Anuário Estatístico ... Leia mais.

Covid-19 causa impacto expressivo na confiança do consumidor em março
O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 7,6 pontos em março, para 80,2 pontos, o menor valor desde j... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Custo da construção paulista apresenta estabilidade em novembro


O CUB (Custo Unitário Básico) da construção civil do Estado de São Paulo, calculado sobre as obras não incluídas na desoneração da folha de pagamentos, registrou estabilidade em novembro, com acréscimo de 0,02% em relação a outubro. Calculado pelo SindusCon-SP e pela FGV (Fundação Getulio Vargas), o CUB é o índice oficial que reflete a variação dos custos das construtoras para a utilização nos reajustes dos contratos de obras.

Em novembro, os custos com mão de obra apresentaram estabilidade em relação ao mês anterior; os custos com materiais de construção indicaram alta de 0,06% e os salários dos engenheiros tiveram estabilidade. A média ponderada entre os três itens resultou na variação de 0,02% do CUB representativo da construção paulista (RN-8), que em novembro ficou em R$ 1.169,24 por metro quadrado.

No acumulado de 2014, o CUB paulista acumula alta de 6,34%. Em 12 meses, o indicador apresenta avanço de 6,40%.

Quanto às obras incluídas na desoneração da folha de pagamentos, o CUB também apresentou estabilidade (com leve alta de 0,02%) em novembro, totalizando R$ 1.087,69 por metro quadrado. Os custos com mão de obra apresentaram estabilidade, os custos com materiais de construção subiram 0,06%, enquanto os salários dos engenheiros também indicaram estabilidade. No acumulado de 2014, o índice aumentou 6,22%.

Em novembro, apenas um dos 27 insumos da construção pesquisados apresentou variação de custo acima do IGP-M do mês, que registrou alta de 0,98%.