banner_fornecedores

Indústria de material de construção tem fevereiro regular, apura Abramat
A Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) acaba de divulgar a nova edição do Termômetro da Indústria de Mate... Leia mais.

Mortes por choques elétricos aumentam 12% no Brasil, apura Abracopel
Choques elétricos são verdadeiros riscos e o que muitas pessoas não sabem é que eles podem levar à morte. De acordo com Anuário Estatístico ... Leia mais.

Covid-19 causa impacto expressivo na confiança do consumidor em março
O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 7,6 pontos em março, para 80,2 pontos, o menor valor desde j... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Burocracia custa até 25% no valor do imóvel


Você já ouviu falar que tempo é dinheiro? Para quem trabalha no ramo de empreendimentos imobiliários isso é verdade. O vice-presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), José Irenaldo Quintans, falou o quanto a burocracia desagiliza a construção de um imóvel e o quanto isso onera o preço final.

Segundo o empreendedor imobiliário, o preço da burocracia no produto final varia entre 12 e 25%. Quintans afirma que esse processo da papelada demora mais de um ano na maioria das vezes e, segundo ele, poderia ser reduzido para 15 ou 20 dias.

O que é preciso ser feito para o sistema atual ser mais ágil? “Bom senso”, afirma Quintans. “É muito carimbo, muito papel. Isso está muito mais que ultrapassado”

Um empreendimento passa por várias etapas antes de ser entregue aos clientes. “Existe a compra do terreno, a elaboração do projeto, então o projeto precisa da aprovação dos órgãos, precisa de alvará, licença ambiental, tem a obra em si - que pode demorar 3, 4 anos, licença de habitação, escrituras, etc. Ao longo disso tudo, são necessários retirar vários documentos”.