banner_fornecedores

Atividade industrial paulista mostra reação em maio, aponta Fiesp e Ciesp
A indústria paulista de transformação mostrou reação positiva em maio, após dois meses de quedas generalizadas em março e abril. O Levantame... Leia mais.

Confiança empresarial recupera 61% das perdas do bimestre março-abril
O Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 16,7 pontos em junho, para 173,6 pontos. Com a segunda q... Leia mais.

Estudo da Juntos Somos Mais mostra a expectativa dos varejistas no pós-crise
Pesquisa realizada pela Juntos Somos Mais, ecossistema do varejo da construção civil, que contempla mais de 75 mil varejistas e mais de 20 e... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Adequações no setor imobiliário


A atual situação do mercado imobiliário, que reflete, basicamente, o quadro de crescimento pífio da economia brasileira, exigirá maior competência e agilidade dos empreendedores em 2015. 

“Terminaram as vendas para os flippers, como são chamadas as pessoas ou empresas que compram imóveis geralmente no lançamento para vendê-los com lucro na entrega ou perto dela, contribuindo para a aceleração do processo de subida dos preços, e só teremos compradores para imóveis de uso e decisões sem impulso de compra”, comenta o diretor da Squeff Consultoria Imobiliária, Jorge Squeff. “Os empreendedores vão ter que se agilizar e pensar como comerciantes (mascates) e não mais apenas como engenheiros — lógicos e precisos”, recomenda. Vai haver adequação das margens de lucro nos lançamentos futuros, reduzindo-as para ter maior velocidade de vendas. “Sempre quem sai na frente consegue a retomada de mercado com mais objetividade”, concluiu, com sua experiência de mais de 30 anos de atuação no setor. A tendência é de queda de preços.

Da redação, original Jornal do Comércio