banner_fornecedores

Atividade industrial paulista mostra reação em maio, aponta Fiesp e Ciesp
A indústria paulista de transformação mostrou reação positiva em maio, após dois meses de quedas generalizadas em março e abril. O Levantame... Leia mais.

Confiança empresarial recupera 61% das perdas do bimestre março-abril
O Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 16,7 pontos em junho, para 173,6 pontos. Com a segunda q... Leia mais.

Estudo da Juntos Somos Mais mostra a expectativa dos varejistas no pós-crise
Pesquisa realizada pela Juntos Somos Mais, ecossistema do varejo da construção civil, que contempla mais de 75 mil varejistas e mais de 20 e... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Vendas de imóveis usados no Estado de São Paulo fecham 2014 com queda de 16,4%, diz Crecisp


Apesar do aumento de 7,55% registrado em dezembro em relação ao mês anterior, as vendas de imóveis usados no Estado de São Paulo fecharam 2014 com queda de 16,4%. No ano anterior, o recuo acumulado em 12 meses foi de 15,75%. Os dados são do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (CRECISP).
O mercado de locação de imóveis residenciais também registrou queda de 3,94% em dezembro e de 44,43% no acumulado do ano. O índice que mede o comportamento dos preços dos imóveis usados para venda e locação, por sua vez, recuou 2,26% no último mês do ano e 9,14% no acumulado de 2014.
Do total de vendas realizadas em dezembro, 51,62% eram casas e 48,38% apartamentos. Os imóveis mais vendidos em foram os com valor final de até R$ 300 mil, com 54,51% dos contratos fechados nas imobiliárias pesquisadas. Já na locação, 64% dos novos contratos foram para casas e 36% para apartamentos. Os imóveis mais alugados no período foram os de aluguel médio de até R$ 1.000,00, com 59,3% do total de novos contratos.
Duas das quatro regiões que compõem a pesquisa estadual registraram crescimento nas vendas em dezembro: Capital (91,23%) e nas cidades de Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Guarulhos e Osasco (43,98%). Já no Interior e no Litoral houve queda de, respectivamente, 28,47% e 13,29%.
As vendas por financiamentos corresponderam 61,73% do total das transações, enquanto as vendas à vista somaram 36,1%, e as vendas a prazo bancadas pelos donos dos imóveis representaram 1,81% dos contratos. A participação das vendas por consórcio foi de 0,36%.