banner_fornecedores

Indústria de material de construção tem fevereiro regular, apura Abramat
A Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) acaba de divulgar a nova edição do Termômetro da Indústria de Mate... Leia mais.

Mortes por choques elétricos aumentam 12% no Brasil, apura Abracopel
Choques elétricos são verdadeiros riscos e o que muitas pessoas não sabem é que eles podem levar à morte. De acordo com Anuário Estatístico ... Leia mais.

Covid-19 causa impacto expressivo na confiança do consumidor em março
O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 7,6 pontos em março, para 80,2 pontos, o menor valor desde j... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Financiamento imobiliário da Caixa cresce 13,3% em 2014 e atinge R$ 128,8 bilhões


A Caixa Econômica Federal concedeu R$ 128,8 bilhões em crédito imobiliário em 2014, alta de 13,3% em comparação a 2013. Desse montante, R$ 79,4 bilhões se referem a contratações com recursos da poupança, R$ 40,9 bilhões foram oriundos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e R$ 8,5 bilhões de outras fontes. Com isso, o banco encerrou o ano de 2014 com saldo de R$ 339,8 bilhões em sua carteira de crédito habitacional, o que representa uma alta de 25,7% em relação a 2013. Os dados foram divulgados pela Caixa nesta quinta-feira (12).
A carteira de crédito ampliada do banco alcançou saldo de R$ 605 bilhões, expansão de 22,4% em 12 meses. "Desse total, 86,5% do crescimento (da carteira de crédito ampliada) da Caixa foi basicamente puxado pela habitação, infraestrutura e consignado", destaca o vice-presidente de finanças e controladoria da Caixa, Márcio Percival.
No programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV), foram contratados R$ 35,9 bilhões no período (o que representa 389,2 mil unidades), sendo 35,6% destinados à Faixa 1, que atende beneficiários com renda mensal de até R$ 1,6 mil.
A Caixa somou no ano passado 58,3 milhões de contas poupança, um aumento de 12,2% em relação a 2013. A poupança da Caixa atingiu saldo de R$ 236,7 bilhões com R$ 12,7 bilhões em captações líquidas. Enquanto os depósitos a vista somaram R$ 27 bilhões, os depósitos a prazo alcançaram saldo de R$ 143,1 bilhões, uma alta de 26% em relação a dezembro de 2013.
A instituição fechou 2014 com lucro líquido de R$ 7,1 bilhões, crescimento de 5,5% em relação a 2013.