banner_fornecedores

Indústria de material de construção tem fevereiro regular, apura Abramat
A Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) acaba de divulgar a nova edição do Termômetro da Indústria de Mate... Leia mais.

Mortes por choques elétricos aumentam 12% no Brasil, apura Abracopel
Choques elétricos são verdadeiros riscos e o que muitas pessoas não sabem é que eles podem levar à morte. De acordo com Anuário Estatístico ... Leia mais.

Covid-19 causa impacto expressivo na confiança do consumidor em março
O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 7,6 pontos em março, para 80,2 pontos, o menor valor desde j... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Seconci-SP alerta operários da construção sobre os cuidados com o calor excessivo nos canteiros de obras


O Serviço Social da Construção do Estado de São Paulo (Seconci-SP) divulgou uma série de cuidados necessários para evitar casos de desidratação dos trabalhadores da construção civil nos canteiros de obras, diante do extremo calor e da escassez de água. Essa condição também pode elevar a concentração de colesterol e levar à queda da pressão arterial.
Entre as orientações estão, por exemplo, o uso de uniformes de algodão e cores claras, que facilitam o mecanismo de evaporação; o uso de capacete com protetor de nuca; e a aplicação de protetor solar. Além disso, o Seconci-SP alerta quanto à qualidade da água oferecida para consumo humano
De acordo com a médica ocupacional da entidade, Xiomara Salvetti, serviços realizados ao ar livre, como execução de lajes e telhados, merecem atenção especial. Quanto maior o esforço ou atividade física, maior será a atividade do metabolismo e, consequentemente, maior a produção de calor no corpo e a necessidade de dissipação para não interferir no equilíbrio térmico corporal. "Sede, olhos fundos, boca seca, redução do suor, dor de cabeça, tontura, fraqueza e aumento da frequência cardíaca são sintomas clássicos da desidratação. Em estágios mais avançados, podem ocorrer queda da pressão, convulsões e choque, levando até à morte", explica.
A entidade também aconselha que os operários bebam de dois a três litros de água por dia para minimizar os impactos das altas temperaturas e da baixa umidade do ar, e está agindo junto às empresas associadas para que seja redobrada a atenção com o preparo e conservação de alimentos como carnes, peixes, frangos e ovos.