banner_fornecedores

Produção industrial recua em 13 dos 15 locais pesquisados, aponta IBGE
A Pesquisa Industrial Mensal, apurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na série com ajuste sazonal, mostra que, ... Leia mais.

Nível de Utilização da Capacidade Instalada melhora em maio, revela FGV IBRE
Em maio, o Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) apresentou leve melhora, segundo cálculos do Instituto Brasileiro de Economia ... Leia mais.

Percentual de famílias com trabalho afetado pela pandemia sobe, mostra pesquisa
Pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE) mostra que pelo menos um membro de 57,2% das ... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Brasil investiu R$ 460 bilhões em obras de infraestrutura e desenvolvimento urbano em 2014


O Brasil investiu R$ 460 bilhões em obras de desenvolvimento urbano e infraestrutura econômica em 2014, de acordo com dados divulgados pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) na última segunda-feira (9) no 11º ConstruBusiness - Antecipando o Futuro. Encomendado pelo Departamento da Indústria da Construção (Deconcic) da entidade, o estudo mostra que a média anual de investimentos em infraestrutura entre 2010 e 2014 foi de R$ 184,5 bilhões, que equivalem a 3,8% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional.
O levantamento mostra ainda que, baseado em 2014, o setor movimenta 9,1% do PIB e responde por 52,5% da formação bruta de capital fixo do País. Na análise dos investimentos para os setores de energia, transportes, telecomunicações, habitação, mobilidade urbana e saneamento no período de 2015 a 2022, a pesquisa revela que para que o Brasil atinja um patamar positivo são necessários investimentos anuais de R$ 560 bilhões, que representam 9,8% do PIB brasileiro.
Na área de transportes, as necessidades de investimentos somam de R$ 45,5 bilhões por ano para obras em rodovias, ferrovias, portos e aeroportos. Em energia, são necessários R$ 47,4 bilhões para a expansão do sistema de geração, transmissão e distribuição de eletricidade e R$ 96 bilhões para projetos na exploração, produção e distribuição de petróleo e gás.
Já em desenvolvimento urbano, a Fiesp revela que é necessário fomentar e conceder crédito para investimentos, enquanto na área habitacional o investimento soma R$ 202 bilhões por ano para novas moradias e R$ 104 bilhões para reformas, ampliações e construção de edificações comerciais. No campo da mobilidade urbana, é preciso injetar R$ 12 bilhões anuais para projetos em metrôs e trens, enquanto R$ 18 bilhões por ano devem ser consumidos para saneamento básico.