banner_fornecedores

Indústria de material de construção tem fevereiro regular, apura Abramat
A Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) acaba de divulgar a nova edição do Termômetro da Indústria de Mate... Leia mais.

Mortes por choques elétricos aumentam 12% no Brasil, apura Abracopel
Choques elétricos são verdadeiros riscos e o que muitas pessoas não sabem é que eles podem levar à morte. De acordo com Anuário Estatístico ... Leia mais.

Covid-19 causa impacto expressivo na confiança do consumidor em março
O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 7,6 pontos em março, para 80,2 pontos, o menor valor desde j... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Brasil investiu R$ 460 bilhões em obras de infraestrutura e desenvolvimento urbano em 2014


O Brasil investiu R$ 460 bilhões em obras de desenvolvimento urbano e infraestrutura econômica em 2014, de acordo com dados divulgados pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) na última segunda-feira (9) no 11º ConstruBusiness - Antecipando o Futuro. Encomendado pelo Departamento da Indústria da Construção (Deconcic) da entidade, o estudo mostra que a média anual de investimentos em infraestrutura entre 2010 e 2014 foi de R$ 184,5 bilhões, que equivalem a 3,8% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional.
O levantamento mostra ainda que, baseado em 2014, o setor movimenta 9,1% do PIB e responde por 52,5% da formação bruta de capital fixo do País. Na análise dos investimentos para os setores de energia, transportes, telecomunicações, habitação, mobilidade urbana e saneamento no período de 2015 a 2022, a pesquisa revela que para que o Brasil atinja um patamar positivo são necessários investimentos anuais de R$ 560 bilhões, que representam 9,8% do PIB brasileiro.
Na área de transportes, as necessidades de investimentos somam de R$ 45,5 bilhões por ano para obras em rodovias, ferrovias, portos e aeroportos. Em energia, são necessários R$ 47,4 bilhões para a expansão do sistema de geração, transmissão e distribuição de eletricidade e R$ 96 bilhões para projetos na exploração, produção e distribuição de petróleo e gás.
Já em desenvolvimento urbano, a Fiesp revela que é necessário fomentar e conceder crédito para investimentos, enquanto na área habitacional o investimento soma R$ 202 bilhões por ano para novas moradias e R$ 104 bilhões para reformas, ampliações e construção de edificações comerciais. No campo da mobilidade urbana, é preciso injetar R$ 12 bilhões anuais para projetos em metrôs e trens, enquanto R$ 18 bilhões por ano devem ser consumidos para saneamento básico.