banner_fornecedores

Atividade industrial paulista mostra reação em maio, aponta Fiesp e Ciesp
A indústria paulista de transformação mostrou reação positiva em maio, após dois meses de quedas generalizadas em março e abril. O Levantame... Leia mais.

Confiança empresarial recupera 61% das perdas do bimestre março-abril
O Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 16,7 pontos em junho, para 173,6 pontos. Com a segunda q... Leia mais.

Estudo da Juntos Somos Mais mostra a expectativa dos varejistas no pós-crise
Pesquisa realizada pela Juntos Somos Mais, ecossistema do varejo da construção civil, que contempla mais de 75 mil varejistas e mais de 20 e... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Crédito imobiliário tem o melhor abril desde o início da série histórica, diz Abecip


O volume de empréstimos para aquisição e construção de imóveis somou R$ 9,25 bilhões em abril, alta nominal de 9% em relação ao mês anterior e de 0,8% em relação ao mesmo período do ano passado. O montante financiado foi o melhor para o mês de abril desde o início da série, em 1995. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (22) pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip).
No acumulado de 12 meses, o volume de empréstimos para aquisição e construção de imóveis com recursos das cadernetas do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) alcançou o montante de R$ 111,8 bilhões, valor 2,7% inferior ao apurado nos 12 meses anteriores.
Em termos de quantidade, foram financiados em abril 44,6 mil imóveis, o que representa crescimento de 2% em relação a abril do ano passado e de 20,8% na comparação com março. Já no acumulado do ano, foram financiadas 154 mil unidades, número 8% menor que o de igual período de 2014. Nos últimos 12 meses 524,9 mil imóveis foram financiados, o que corresponde a um recuo de 5,2% em relação aos 12 meses precedentes.
De acordo com o levantamento, as cadernetas de poupança dos agentes financeiros do SBPE registraram em abril saídas líquidas de R$ 5,2 bilhões. O volume total de recursos aplicados em cadernetas permitiu uma elevação do saldo de 6% comparativamente a abril de 2014, encerrando o terceiro mês do ano em R$ 510,1 bilhões.