banner_fornecedores

Indústria de material de construção tem fevereiro regular, apura Abramat
A Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) acaba de divulgar a nova edição do Termômetro da Indústria de Mate... Leia mais.

Mortes por choques elétricos aumentam 12% no Brasil, apura Abracopel
Choques elétricos são verdadeiros riscos e o que muitas pessoas não sabem é que eles podem levar à morte. De acordo com Anuário Estatístico ... Leia mais.

Covid-19 causa impacto expressivo na confiança do consumidor em março
O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 7,6 pontos em março, para 80,2 pontos, o menor valor desde j... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Vendas de materiais de construção se mantêm estáveis em julho, diz Anamaco



As vendas de materiais de construção se mantiveram estáveis em julho, na comparação com o mês anterior, de acordo com o estudo mensal realizado pelo Instituto de Pesquisas da Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco) com apoio da Abrafati, Instituto Crisotila Brasil, Anfacer e Siamfesp. As vendas aumentaram 7% e 8%, respectivamente, nas regiões Nordeste e Centro-Oeste do País e 2% no Sudeste, enquanto o Norte e o Sul apresentaram retração de 9% e 7%, respectivamente.
O levantamento ouviu 530 lojistas das cinco regiões do País entre os dias 28 e 31 de julho e tem margem de erro de 4,3%. Segundo a sondagem, lojas médias tiveram ligeiro crescimento de 2% em julho, enquanto as grandes retraíram 2%.
De acordo com o presidente da Anamaco, Cláudio Conz, "no acumulado do ano e dos últimos 12 meses, o setor apresenta estabilidade, sem registrar crescimento. Precisamos ressaltar que o mês de julho do ano passado foi um mês de vendas mais expressivas, porque sucedeu a realização da Copa do Mundo, período em que as lojas acabaram fechando durante mais dias úteis do que o normal por conta dos jogos". "Como o consumidor não estava comprando durante os jogos, ele acabou postergando as compras para o mês seguinte. Justamente por isso, a comparação do desempenho de julho de 2015 com o de 2014 não pode ser feita sem analisarmos esses fatores", explicou".
Conz também avalia que o crescimento do setor em 2015 vai depender do desempenho no último trimestre. Por enquanto, a expectativa da entidade é de que haja crescimento de 3% no ano.
Cerca de 46% dos lojistas entrevistados acreditam que devem ter aumento de vendas durante o mês de agosto. O estudo também indicou que o otimismo do setor com relação às ações do Governo Federal cresceu ligeiramente, passando de 17% para 20%. Já a pretensão de novos investimentos nos próximos meses cresceu 27% no em julho.