banner_fornecedores

Indústria de material de construção tem fevereiro regular, apura Abramat
A Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) acaba de divulgar a nova edição do Termômetro da Indústria de Mate... Leia mais.

Mortes por choques elétricos aumentam 12% no Brasil, apura Abracopel
Choques elétricos são verdadeiros riscos e o que muitas pessoas não sabem é que eles podem levar à morte. De acordo com Anuário Estatístico ... Leia mais.

Covid-19 causa impacto expressivo na confiança do consumidor em março
O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 7,6 pontos em março, para 80,2 pontos, o menor valor desde j... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Com limite menor, Banco do Brasil volta a financiar até 90% de imóvel


O Banco do Brasil voltou a oferecer a linha de financiamento imobiliário pró-cotista.
A modalidade havia sido suspensa em fevereiro deste ano, mas foi reativada esta semana. Desta vez ela permite novas condições que foram definidas em maio durante reunião do Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A carteira de crédito imobiliário do Banco do Brasil atingiu, em abril, R$42,06 bilhões, representando um crescimento de 45,9% em 12 meses.

De acordo com o gerente de uma das agências do BB em Uberaba, André Maurício, antes a linha de crédito era destinada a quem pretendia adquirir imóveis no valor de até R$750 mil. A diferença é que o governo federal reduziu o limite e o banco financiará imóveis novos ou usados somente até o teto de R$400 mil. Neste caso, a linha de crédito financia até 90% do imóvel, pelo prazo máximo de 360 meses, ou seja, 30 anos.

Ainda segundo o gerente, o cliente pode escolher um dos dois tipos de sistema de amortização, ou seja, o SAC ou Price. O mais utilizado atualmente é o Sistema de Amortização Constante (SAC) ou de valor decrescente, em que a parcela a ser paga começa maior e vai sendo reduzida até o final do financiamento. Já a tabela Price segue o sistema de prestações fixas, porém com valor médio mais alto. Para ambos, a taxa de juros é 9% ao ano, o menor índice praticado no mercado.

Para contratar empréstimos como pró-cotista, é necessário atender a alguns critérios exigidos pelo programa. “O interessado deve possuir conta ativa do FGTS por pelo menos três anos ou um mínimo de 36 contribuições, consecutivas ou não. O comprometimento da renda familiar é de até 30% para o pagamento da parcela. Uma pessoa que ganhe R$5 mil pode financiar parcela de até R$1.500. Para isso, o interessado deve fazer um cadastro na agência mais próxima de sua casa para a análise de crédito, que poderá resultar em aprovação ou não. No banco ou no site, ele já faz inclusive a simulação do financiamento”, explica André Maurício.

A estimativa do banco é disponibilizar cerca de R$1 bilhão para novas operações. Em todo o país, o Banco do Brasil identificou 2,2 milhões de clientes que reúnem condições para se habilitar ao financiamento imobiliário por essa linha. No caso em que o cliente não possua conta ativa, é necessário que o seu saldo total no FGTS seja igual ou superior a 10% do valor do imóvel ou de compra e venda, o que for maior.

Da Redação, original JM Online.