banner_fornecedores

Atividade industrial paulista mostra reação em maio, aponta Fiesp e Ciesp
A indústria paulista de transformação mostrou reação positiva em maio, após dois meses de quedas generalizadas em março e abril. O Levantame... Leia mais.

Confiança empresarial recupera 61% das perdas do bimestre março-abril
O Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 16,7 pontos em junho, para 173,6 pontos. Com a segunda q... Leia mais.

Estudo da Juntos Somos Mais mostra a expectativa dos varejistas no pós-crise
Pesquisa realizada pela Juntos Somos Mais, ecossistema do varejo da construção civil, que contempla mais de 75 mil varejistas e mais de 20 e... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Mercado da Construção Civil requer qualificação e comprometimento profissional



Cursos técnicos, de aperfeiçoamento e extensão são imprescindíveis para aqueles que almejam sucesso profissional em qualquer carreira. O mercado está a cada dia mais exigente, e as empresas estão cada vez mais buscando colaboradores que possam efetivamente fazer a diferença na sua área de atuação. Um dos setores que mais emprega no País, o mercado da construção civil, é bastante competitivo. Ele requer profissionais que aliem qualificação, conhecimento técnico e capacidade de evolução. Assim como o ritmo do canteiro de obras, as unidades comerciais e administrativas das construtoras também necessitam de colaboradores comprometidos e capacitados.

Para elas, o desafio é encontrar profissionais que coordenem e conduzam suas obras, de forma a priorizar a qualidade em todos os processos do negócio. Esta tarefa não é simples. Dados do Sistema Nacional de Emprego (Sine), do Ministério do Trabalho, revelam que o profissional de Engenharia Civil é justamente o que mais está em falta no País. Ao contrário da realidade de antigamente, quando havia muitos profissionais para poucas vagas, hoje o mercado está oferecendo muitas vagas, porém há poucos preparados para as exigências.

As empresas não abrem mão da qualidade e da competência em suas contratações. Um profissional deve ser extremamente comprometido em obter uma formação sólida, buscar evoluir, e investir em conhecimento. Só o estudo não basta. O amor pela profissão é fundamental, é ele quem faz você permanecer e crescer na empresa. Sempre vai haver pedras no caminho, mas só o amor pelo que faz vai fazer o colaborador seguir em frente e não desistir na primeira barreira.

Outro desafio das empresas do setor é reter os talentos. Para isso, algumas empresas investem não apenas na qualificação e treinamentos internos, mas em outras atividades que geram motivação e satisfação dos seus colaboradores. Muitas contam com um programa interno, com iniciativas que visam abordar diversos temas relacionados aos âmbitos emocional e profissional junto às equipes.