banner_fornecedores

Atividade industrial paulista mostra reação em maio, aponta Fiesp e Ciesp
A indústria paulista de transformação mostrou reação positiva em maio, após dois meses de quedas generalizadas em março e abril. O Levantame... Leia mais.

Confiança empresarial recupera 61% das perdas do bimestre março-abril
O Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 16,7 pontos em junho, para 173,6 pontos. Com a segunda q... Leia mais.

Estudo da Juntos Somos Mais mostra a expectativa dos varejistas no pós-crise
Pesquisa realizada pela Juntos Somos Mais, ecossistema do varejo da construção civil, que contempla mais de 75 mil varejistas e mais de 20 e... Leia mais.


Usuário:
Senha:


ABNT publica norma de controle tecnológico de aterros em obras de edificações com formato atualizado


A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) publicou nesta semana em formato atualizado a NBR 5681:2015 - Controle Tecnológico da Execução de Aterros em Obras de Edificações, que estabelece os requisitos mínimos para o procedimento em prédios residenciais, comerciais ou industriais de propriedade pública ou privada.

A normativa, que entrará em vigor no dia 27 de novembro, não sofreu nenhuma alteração no conteúdo técnico com a nova publicação. De acordo com a secretária do Comitê Brasileiro de Construção Civil (CB-002) da ABNT, Rose de Lima, o texto foi adequado ao formato atual das normas. "As normativas editadas na década de 80 foram reimpressas em novo formato, sem sofrer qualquer alteração técnica", explica.

A NBR determina a obrigatoriedade do controle tecnológico em casos de aterros com responsabilidade de suporte de fundações, pavimentos ou estruturas da contenção, aterros com altura superior a 1 m e aterros com volumes superiores a 1 mil m³.

Estabelece também que o controle tecnológico da execução dos aterros deve levar em conta as exigências do projeto e das especificações particulares de cada obra, em especial quanto às características e qualidade do material a ser utilizado; ao controle da umidade do material; à espessura e homogeneidade das camadas do material; ao equipamento adequado para a compactação; e ao grau de compactação mínimo a ser atingido.

O texto reúne ainda requisitos específicos para o controle de materiais, compactação, preparação do terreno e ensaios geotécnicos.