banner_fornecedores

Indústria de material de construção tem fevereiro regular, apura Abramat
A Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) acaba de divulgar a nova edição do Termômetro da Indústria de Mate... Leia mais.

Mortes por choques elétricos aumentam 12% no Brasil, apura Abracopel
Choques elétricos são verdadeiros riscos e o que muitas pessoas não sabem é que eles podem levar à morte. De acordo com Anuário Estatístico ... Leia mais.

Covid-19 causa impacto expressivo na confiança do consumidor em março
O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 7,6 pontos em março, para 80,2 pontos, o menor valor desde j... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Minha Casa Minha Vida deve entregar três milhões de unidades até o fim do ano, afirma Caixa Econômica Federal


O Vice-presidente de Habitação da Caixa Econômica Federal (CEF), Nelson Antonio de Souza, afirmou que tem o objetivo de entregar, até o final do ano, três milhões de unidades do Minha Casa Minha Vida (MCMV). Até 30 de junho, 2.926.381 unidades já haviam sido finalizadas em todo o Brasil
O banco também divulgou que as contratações até o fim do primeiro semestre haviam somado 4.359.396 unidades. A meta é que, até o fim de 2016, o número chegue aos 4,5 milhões nas cinco regiões do País.
Na semana passada, a CEF remanejou R$ 1,7 bilhão recebido pelo Fundo de Garantia de Tempo e Serviço (FGTS), sendo R$ 1 bilhão para a faixa 1 do pró-cotista, com imóveis de até R$ 225 mil, e R$ 700 milhões para a faixa 3, que contempla valores até R$ 500 mil. Nelson Souza avalia tais recursos fundamentais para a contratação e venda de imóveis nas faixas 2 e 3 do programa habitacional. É prevista a contratação de 200 mil imóveis oriundos desses recursos.
Na faixa 1 do programa, o Ministério das Cidades e a CEF definiram a retomada de cinco mil moradias por mês, já que empreendimentos estavam com parte das obras paralisadas. A partir de junho deste ano, a expectativa é de que 50 mil casas e apartamentos sejam finalizados nos próximos 10 meses.
O Ministério das Cidades ainda prometeu, até dezembro, a entrega de mais 70 mil unidades habitacionais da faixa 1, além do início das contratações da Faixa 1,5 no segundo semestre.