banner_fornecedores

Atividade industrial paulista mostra reação em maio, aponta Fiesp e Ciesp
A indústria paulista de transformação mostrou reação positiva em maio, após dois meses de quedas generalizadas em março e abril. O Levantame... Leia mais.

Confiança empresarial recupera 61% das perdas do bimestre março-abril
O Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 16,7 pontos em junho, para 173,6 pontos. Com a segunda q... Leia mais.

Estudo da Juntos Somos Mais mostra a expectativa dos varejistas no pós-crise
Pesquisa realizada pela Juntos Somos Mais, ecossistema do varejo da construção civil, que contempla mais de 75 mil varejistas e mais de 20 e... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Indústria da construção aponta para estabilidade



O primeiro índice do ano mostra leve crescimento no faturamento das indústrias de materiais de construção. Segundo números da Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Construção (Abramat), janeiro teve aumento de 1,5% em comparação a dezembro de 2016. Já em relação a janeiro do último ano, houve queda de 8,9%. De acordo com a entidade, a projeção para 2017 aponta para estabilidade.

O presidente da associação, Walter Cover, prevê um primeiro semestre com queda de vendas comparado a 2016, mas gradualmente apresentando perdas menos intensas. Ele afirma que a redução das demissões na indústria é um bom sinal. Porém, salienta que, "somente a implementação de medidas de incentivo à demanda e ao credito, por meio de políticas públicas ao setor da construção, a efetivação das reformas estruturais, a redução de juros e a reversão do quadro de desemprego poderão modificar a tendência atual do mercado de materiais de construção".

Os números do primeiro mês do ano indicam, porém, que os empregos no setor permanecem em queda. O estudo informa retração de 7,5% em comparação janeiro de 2016 e recuo de 0,1% sobre dezembro de 2016. Dentro do setor, os segmentos de base e acabamento também apresentaram recuo de 11,4% e 5,3% respectivamente, em relação ao mesmo mês do ano passado. Já em relação a dezembro de 2016 houve aumento das vendas de base (0,7%) e acabamento (2,7%) revela a análise da entidade.