banner_fornecedores

Atividade industrial paulista mostra reação em maio, aponta Fiesp e Ciesp
A indústria paulista de transformação mostrou reação positiva em maio, após dois meses de quedas generalizadas em março e abril. O Levantame... Leia mais.

Confiança empresarial recupera 61% das perdas do bimestre março-abril
O Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 16,7 pontos em junho, para 173,6 pontos. Com a segunda q... Leia mais.

Estudo da Juntos Somos Mais mostra a expectativa dos varejistas no pós-crise
Pesquisa realizada pela Juntos Somos Mais, ecossistema do varejo da construção civil, que contempla mais de 75 mil varejistas e mais de 20 e... Leia mais.


Usuário:
Senha:


FGV: confiança da construção chega ao melhor patamar desde abril de 2015


A Fundação Getúlio Vargas (FGV) informou nesta quarta-feira (26) que o Índice de Confiança da Construção (ICST) alcançou 76,4 pontos em abril, 1,4 ponto a mais do que o apresentado em março e o seu maior valor desde abril de 2015 (77,2 pontos). A pesquisa ouviu 689 empresas entre os dias 3 e 24 deste mês.
Somente o Índice de Situação Atual (ISA) subiu 2,9 pontos, registrando o maior nível desde dezembro de 2015 (68,1 pontos), com 65,7 pontos. O destaque ficou para o indicador que mede a percepção em relação à carteira de contrato, que fechou com 64,9 pontos em abril, variação de 3,4 pontos.
Já o Índice de Expectativas (IE) atingiu 87,6 pontos, queda de 0,2 ponto em abril. O indicador por medir o otimismo com a situação dos negócios nos seis meses seguintes, recuou 0,7 ponto, resultando em 89,4 pontos. Mesmo com retração, IE manteve-se acima dos níveis alcançados no biênio 2015-2016, devido a expectativa positiva dos empresários referente ao crescimento da demanda nos próximos meses
O Nível de Utilização da Capacidade (NUCI) do setor fechou o mês de abril com queda de 0,2%, apresentando 62,8%.
"A mudança detectada pela sondagem é significativa: finalmente a percepção empresarial em relação à situação corrente dos negócios melhora um pouco, seguindo a tendência das expectativas nos meses anteriores. Mas a distância entre os dois indicadores [ISA e IE] permanece muito elevada e o ISA continua em nível crítico", comentou Ana Maria Castelo, Coordenadora de Projetos da Construção da FGV/IBRE.