banner_fornecedores

Indústria de material de construção tem fevereiro regular, apura Abramat
A Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) acaba de divulgar a nova edição do Termômetro da Indústria de Mate... Leia mais.

Mortes por choques elétricos aumentam 12% no Brasil, apura Abracopel
Choques elétricos são verdadeiros riscos e o que muitas pessoas não sabem é que eles podem levar à morte. De acordo com Anuário Estatístico ... Leia mais.

Covid-19 causa impacto expressivo na confiança do consumidor em março
O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 7,6 pontos em março, para 80,2 pontos, o menor valor desde j... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Anamaco espera elevação de 8,5% nas vendas de material de construção sobre 2017



As vendas do varejo de material de construção cresceram 6% em 2017 na comparação com 2016, com faturamento de R$ 114,5 bilhões. A Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco) prevê para 2018 crescimento de 8,5% sobre 2017.

Ainda conforme os dados da Pesquisa Tracking mensal da Anamaco, feita com 530 lojistas entre os dias 21 a 23 de dezembro, no mês passado as vendas tiveram alta de 1% sobre novembro, mesmo índice na comparação com dezembro de 2016.

Por categoria, o melhor desempenho foi em tintas, cujas vendas subiram 8% sobre novembro, seguida por cimentos, com alta de 2%. Já em revestimentos cerâmicos houve queda, de 4%, assim como em telhas de fibrocimento, com recuo de 3%.

Na avaliação de do presidente da Anamaco, Cláudio Conz, o faturamento do ano passado ficou muito próximo do apresentado em 2015, que foi de R$ 115 bilhões. “Com os resultados dos últimos 12 meses, esperamos que 2018 seja um ano de retomada e estamos prevendo um crescimento de 8,5% sobre 2017, influenciados pela redução das taxas de juros, da inflação e pelo aumento do emprego”, afirmou, por meio de nota.

“O consumidor está mais confiante e os números mostram que há uma retomada de obras. Justamente por isso, estamos otimistas de que 2018 será um ano de crescimento e desenvolvimento para a nossa cadeia produtiva”, completou Cláudio Conz.