banner_fornecedores

Produção industrial recua em 13 dos 15 locais pesquisados, aponta IBGE
A Pesquisa Industrial Mensal, apurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na série com ajuste sazonal, mostra que, ... Leia mais.

Nível de Utilização da Capacidade Instalada melhora em maio, revela FGV IBRE
Em maio, o Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) apresentou leve melhora, segundo cálculos do Instituto Brasileiro de Economia ... Leia mais.

Percentual de famílias com trabalho afetado pela pandemia sobe, mostra pesquisa
Pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE) mostra que pelo menos um membro de 57,2% das ... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Vendas de imóveis residenciais em SP cresce 26,7% em 2018



De acordo com a Pesquisa do Mercado Imobiliário, realizada pelo Departamento de Economia e Estatística do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP), 29,9 mil unidades residenciais novas foram comercializadas no ano passado.

O valor é 26,7% maior do registrado em 2017, quando as vendas alcançaram 23,6 mil unidades, e acima da média histórica de 27,6 mil vendas anuais. Em volume de vendas, os dois últimos meses de representaram 30% do total de imóveis vendidos nos 12 meses.

O levantamento aponta que os números de 2018 superaram os apurados em 2014 a 2017, anos da crise econômica. Segundo o Secovi-SP, os resultados consolidaram 2018 como um ano de crescimento do mercado.

Com relação aos imóveis econômicos, a pesquisa apurou que o comportamento registrado no ano passado foi mantido, frente ao ano anterior. Do número total de unidades comercializadas, 63% eram de 2 dormitórios, 60% tinham menos de 45 m² de área útil e 47% preço de até R$ 240 mil.

Os imóveis econômicos no âmbito do programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV) se destacaram durante todo o ano, participando com 37% do total anual comercializado.

Lançamento

A Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio), registrou que, em 2018, 32.762 mil unidades residenciais foram lançadas em São Paulo, resultado 4% superior ao ano anterior (31,4 mil unidades) e superior à média histórica de 30 mil unidades por ano na capital paulista. Novembro e dezembro de 2018 representaram 42% do total lançado durante todo o ano.

A quantidade foi acima dos lançamentos de 2015, 2016 e 2017. De acordo com o levantamento, este crescimento moderado de 4,4% em relação a 2017 já era esperado, devido ao bom desempenho apresentando em 2016.

A pesquisa apontou, ainda, o comportamento dos imóveis econômicos, nos quais 65% das unidades foram de 2 dormitórios, 62% possuíam área útil menor do que 45 m² e 51% tinham preço total de até R$ 240 mil. Os imóveis enquadrados no MCMV corresponderam a 44% do total lançado, comprovando a importância do Programa para a retomada do mercado.

Perspectivas 2019

Segundo o Secovi-SP, a expectativa inicial para 2019 é de estabilidade com relação aos resultados de 2018, tanto em lançamentos como vendas. Em valores, é estimado um crescimento do VGV (Valor Global de Vendas) em torno de 10%.

A entidade afirma, ainda, que fatores como a limitação de recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para novos financiamentos e a dificuldade em viabilizar novos projetos habitacionais em razão dos altos preços dos terrenos dificultam uma estimativa sobre a expansão do mercado imobiliário em São Paulo.