banner_fornecedores

Indústria de material de construção tem fevereiro regular, apura Abramat
A Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) acaba de divulgar a nova edição do Termômetro da Indústria de Mate... Leia mais.

Mortes por choques elétricos aumentam 12% no Brasil, apura Abracopel
Choques elétricos são verdadeiros riscos e o que muitas pessoas não sabem é que eles podem levar à morte. De acordo com Anuário Estatístico ... Leia mais.

Covid-19 causa impacto expressivo na confiança do consumidor em março
O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 7,6 pontos em março, para 80,2 pontos, o menor valor desde j... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Caixa amplia limites de financiamento das faixas 2 e 3 do MCMV


A Caixa Econômica Federal e o Ministério do Desenvolvimento Regional anunciaram novas condições de financiamento habitacional com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) no âmbito das faixas 2 (renda de até R$ 4 mil) e 3 (renda de até R$ 7 mil) do programa Minha Casa Minha Vida.

Conforme a Caixa, os limites de valor do imóvel para municípios com até 50 mil habitantes em São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal passaram de R$ 95 mil (até 20 mil habitantes) e de R$ 110 mil (entre 20 mil e 50 mil habitantes), para R$ 145 mil. Na Região Sul, Espírito Santo e Minas Gerais o valor máximo passou de R$ 105 mil para R$ 140 mil; no Centro-Oeste, exceto o DF, de R$ 105 mil para R$ 135 mil; e no Norte e Nordeste, de R$ 100 mil para R$ 130 mil.

As novas condições incluem mudanças no valor máximo de subsídio para as famílias da faixa 2, que será de R$ 11,6 mil em municípios de todo o País com menos de 20 mil habitantes. Em outras localidades, o teto permanecerá o mesmo, R$ 29 mil, dependendo da região.

Com relação a faixa 1,5 do MCMV, o valor máximo do subsídio, R$ 47,5 mil, não sofrerá alterações para mutuários com renda bruta até R$ 1,2 mil. Rendas superiores terão redução progressiva do subsídio.