banner_fornecedores

Indústria de material de construção tem fevereiro regular, apura Abramat
A Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) acaba de divulgar a nova edição do Termômetro da Indústria de Mate... Leia mais.

Mortes por choques elétricos aumentam 12% no Brasil, apura Abracopel
Choques elétricos são verdadeiros riscos e o que muitas pessoas não sabem é que eles podem levar à morte. De acordo com Anuário Estatístico ... Leia mais.

Covid-19 causa impacto expressivo na confiança do consumidor em março
O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 7,6 pontos em março, para 80,2 pontos, o menor valor desde j... Leia mais.


Usuário:
Senha:


BNDES lança nova linha de financiamento para pequenas empresas


O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) lançou o BNDES Crédito Pequenas Empresas, uma nova linha de financiamento voltada às micro e pequenas empresas. O trabalho será realizado em parceria com bancos comerciais, de desenvolvimento e cooperativos, e visa gerar mais emprego e ampliar a concessão de créditos para empresas de menor porte.

Conforme o BNDES, os empréstimos serão limitados a R$ 500 mil por beneficiário, a cada cinco anos, e ofertados na modalidade indireta. O cliente contará com três opções de juros de referência – taxas de Longo Prazo (TLP), Selic (TS), ou Fixa do BNDES (TFB). A esses juros serão acrescidas a remuneração do BNDES (1,45% ao ano) e a remuneração do agente financeiro (negociada diretamente com o cliente final). Com isso, os juros devem ficar em torno de 1,3% ao mês, ou cerca de 15% ao ano.

A previsão é de que a demanda chegue rapidamente a R$ 1 bilhão. Caso seja maior, será disponibilizado mais crédito para as micro e pequenas empresas.

As empresas interessadas em solicitar o financiamento podem ir diretamente aos bancos credenciados ou acessar o Canal MPME do BNDES, que repassa os pedidos de financiamento e as informações à central de riscos dos bancos parceiros. As garantias das pequenas empresas para os empréstimos poderão ser complementadas pelo Fundo Garantidor criado pelo banco recentemente.

O BNDES também irá realizar um estudo de efetividade para avaliar a geração e a manutenção de empregos nas micro e pequenas empresas, que, segundo o banco, são responsáveis por cerca de 55% do total de empregos formais no País (18 milhões).