banner_fornecedores

Atividade industrial paulista mostra reação em maio, aponta Fiesp e Ciesp
A indústria paulista de transformação mostrou reação positiva em maio, após dois meses de quedas generalizadas em março e abril. O Levantame... Leia mais.

Confiança empresarial recupera 61% das perdas do bimestre março-abril
O Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 16,7 pontos em junho, para 173,6 pontos. Com a segunda q... Leia mais.

Estudo da Juntos Somos Mais mostra a expectativa dos varejistas no pós-crise
Pesquisa realizada pela Juntos Somos Mais, ecossistema do varejo da construção civil, que contempla mais de 75 mil varejistas e mais de 20 e... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Lançamento de imóveis novos cresce 67,7% em março frente a 2018


O indicador Abrainc-Fipe, apurado pela Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), registrou que 13.144 imóveis novos foram lançados em março no Brasil, valor 67,7% superior ao apurado no mesmo mês do ano passado.

No acumulado do ano, os lançamentos totalizaram 18.181 unidades, alta de 23,9% na comparação com o mesmo período de 2018. Nos últimos 12 meses, 113.620 unidades foram lançadas, o que corresponde a um crescimento de 34,0% em relação aos 12 meses anteriores.

A venda de imóveis novos, por sua vez, chegou a 11.562 unidades em março, alcançando 26.729 unidades no primeiro trimestre do ano (aumento de 1,9% na comparação com o mesmo período de 2018). No acumulado de 12 meses, o valor totalizou 115.625 imóveis comercializados, 2,5% maior que no mesmo período precedente.

O número de imóveis distratados totalizou 1.584 em março, resultado 44,1% menor face ao mesmo mês do ano passado. Nos primeiros três meses de 2019, 4.472 unidades foram distratadas (redução de 36,9% quando comparada aos primeiros três meses de 2018).

Segundo o relatório, outro destaque no período foi a queda expressiva na relação entre distratos e vendas, causada pelo recuo de 25,6% (24.464 unidades) no volume de unidades distratadas e aumento das vendas no período de 12 meses (+2,5%).

“O indicador encerrou os últimos 12 meses em 21,2% – percentual que representa uma queda de 8 pontos em relação à média calculada para os 12 meses precedentes (29,2%), e uma redução de 21,8 pontos em comparação à média de 2016, ano em que a relação distratos-vendas atingiu o patamar recorde de 42,6%”, diz a pesquisa.

Considerando-se apenas os segmentos residenciais de Médio e Alto Padrão (MAP) e empreendimentos vinculados ao Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV), os lançamentos e vendas de imóveis cresceram, respectivamente, 37,0% e 3,2% nos últimos 12 meses. Em termos de distribuição, os imóveis comercializados no âmbito do MCMV registraram a maior parte dos lançamentos residenciais (79,0%) e das vendas residenciais (70,7%) realizadas nos últimos 12 meses. Já as unidades de MAP responderam por 21,0% das unidades residenciais lançadas e 29,3% das vendidas no período.

Em termos de desempenho, o levantamento aponta que “apesar da importante alta de 20,2% registrada nos lançamentos residenciais de médio e alto padrão nos últimos 12 meses, as vendas de novas unidades pelo segmento ainda acumulam queda de 6,3% na comparação com o período precedente”.