banner_fornecedores

Atividade industrial paulista mostra reação em maio, aponta Fiesp e Ciesp
A indústria paulista de transformação mostrou reação positiva em maio, após dois meses de quedas generalizadas em março e abril. O Levantame... Leia mais.

Confiança empresarial recupera 61% das perdas do bimestre março-abril
O Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 16,7 pontos em junho, para 173,6 pontos. Com a segunda q... Leia mais.

Estudo da Juntos Somos Mais mostra a expectativa dos varejistas no pós-crise
Pesquisa realizada pela Juntos Somos Mais, ecossistema do varejo da construção civil, que contempla mais de 75 mil varejistas e mais de 20 e... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Termômetro da Abramat indica evolução e setor da construção reduz pessimismo


A Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) acaba de divulgar a nova edição do Termômetro da Indústria do setor. A pesquisa indica boa avaliação sobre as vendas em julho, refletindo um ligeiro aumento de otimismo em relação ao governo e do nível de utilização da capacidade instalada, porém sem alterar as perspectivas de investimento no médio prazo.
A pesquisa informa que para 23% das empresas associadas à entidade, o faturamento em julho foi “muito bom” ou “bom”. Para 42% o período apresentou regularidade e as demais 35% avaliaram o desempenho como “ruim” ou “muito ruim”.
A expectativa para agosto tem grau de otimismo maior. O desempenho esperado para o próximo mês é “muito bom” ou “bom” para 35% das associadas, enquanto 57% esperam um mês “regular” e 8% projetam o período como “ruim”.
No início de 2019, os empresários da indústria de material de construção demonstravam alta expectativa sobre o atual governo, cenária que vem sofrendo alterações, de acordo com a sequência de fatos que permearam os primeiros meses do ano. O andamento da Reforma da Previdência, a apresentação e discussão de projetos para a Reforma Tributária, bem como outras medidas que visam estimular o consumo (como a possibilidade de liberação parcial do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço - FGTS - para os contribuintes) influenciaram no Termômetro de julho.
O estudo aponta que 27% das empresas manifestaram otimismo sobre as ações do governo, 65% indiferença e 8% pessimismo. Após ultrapassar a marca de 50% entre o final de 2018 e início deste ano, o número de associados otimistas chegou a 8% em maio de 2019.
A variação do otimismo, no entanto, não afetou positivamente as pretensões de investimento do setor no médio prazo. Houve diminuição de 1% em relação ao mês anterior. O Termômetro de julho indica que 69% das associadas têm pretensões de investimento para os próximos 12 meses. O índice de utilização da capacidade instalada aumentou, chegando a 73%. “A indústria de material de construção continua com os esforços em manter diálogos construtivos com seus diferentes interlocutores para que o ambiente de negócios seja o melhor possível, de forma a sustentar o crescimento obtido no ano passado”, explica Rodrigo Navarro, presidente da Abramat.
Segundo ele, os anúncios positivos dentro da agenda econômica do Governo Federal foram bem recebido por parte da Associação. “Notamos, pelo resultado evidenciado pela pesquisa e a expectativa positiva para o próximo mês, que há avanços percebidos, mas ainda há muito por fazer. Manteremos o foco em nossos pilares de atuação, assim como em outras frentes complementares, como a efetiva inclusão da construção civil no âmbito da Indústria 4.0, a retomada de obras paradas, o aprimoramento do marco regulatório do saneamento básico, e o estímulo ao importante canal do varejo”, afirma o executivo.