banner_fornecedores

Queda da atividade industrial se intensifica em abril, apura sondagem da CNI
De acordo com a Sondagem Industrial da Confederação Nacional da Indústria (CNI), os efeitos causados pela pandemia de coronavírus sobre a in... Leia mais.

Monitor do PIB aponta retração de 1,0% na economia no primeiro trimestre
O Monitor do PIB-FGV aponta, na análise da série dessazonalizada, retração de 1,0%, na atividade econômica no primeiro trimestre, na compara... Leia mais.

Indústria tem queda de 4,7% em abril sobre o mesmo mês de 2019
A Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) divulga nesta segunda-feira (18 de maio), a nova edição da sua pes... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Indústria de material de construção tem fevereiro regular, apura Abramat


A Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) acaba de divulgar a nova edição do Termômetro da Indústria de Materiais de Construção, pesquisa de opinião realizada com as lideranças do setor. O estudo aponta vendas “regulares” para a maioria das associadas em fevereiro e o crescimento do sentimento de indiferença em relação às ações do governo por parte do setor.
O termômetro aponta que para 53% das associadas o faturamento em fevereiro foi considerado “Regular”. Para 13%, o período foi “bom”, enquanto os demais 34% consideraram o mês “ruim” ou “muito ruim”. A perspectiva para este mês de março é mais positiva, com 54% das empresas esperando um desempenho “bom” ou “muito bom” e 46% prevendo um mês “regular”.
À medida que o mercado segue aguardando novas obras de infraestrutura e a retomada de obras paradas, o Termômetro apresenta um cenário de maior moderação nas expectativas por parte das lideranças do setor. Em fevereiro 71% das associadas declararam indiferença em relação às ações governamentais, 4% demonstraram pessimismo e as demais 25% otimismo. Em janeiro 44% das associadas declaravam estar otimistas.
Outros indicadores do estudo evidenciam maior moderação no setor. O nível atual de utilização da capacidade instalada caiu para 70%.  Em fevereiro de 2019, o mesmo índice registrava 76%. As pretensões de investimento para os próximos 12 meses também apresentaram baixa, sendo o plano de 71% das associadas em fevereiro. “Nossos últimos estudos apontavam para um começo de ano menos aquecido, o que, no entanto, não anula a retomada do crescimento que o setor observou nos últimos dois anos. Nesse sentido, é natural que haja uma gradual moderação nas expectativas para o que vem a seguir”, explica Rodrigo Navarro, presidente da entidade.
Segundo ele, o ambiente econômico ainda apresenta indicadores positivos, há indícios de que o setor imobiliário possa ganhar fôlego e, assim, consolidar uma base para que a indústria de material de construção cresça em 2020.

Fonte: Revista Anamaco