banner_fornecedores

Após três quedas consecutivas, indústria eletroeletrônica registra crescimento
Maio último mostrou-se um mês positivo para a indústria elétrica e eletrônica. Dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Est... Leia mais.

Monitor do PIB aponta crescimento de 0,7% da atividade econômica em maio
O Monitor do PIB-FGV aponta crescimento de 0,7% da atividade econômica em maio, na comparação com abril, na análise da série dessazonalizada... Leia mais.

Confiança do empresário do comércio volta a crescer após quatro meses, diz CNC
De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), após ter alcançado o menor patamar da série histórica n... Leia mais.


Usuário:
Senha:


Indústria de material de construção registra crescimento no primeiro trimestre


Dados da pesquisa da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat), elaborada pela Fundação Getulio Vargas (FGV) com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), mostram que, até o mês de março, período ainda pouco influenciado pela pandemia da Covid-19, as indústrias do setor registraram crescimento de 2,4% no faturamento na comparação com o mesmo período de 2019.
O Índice da Abramat também aponta que em março, os  fabricantes faturaram 0,4% menos do que em fevereiro, mas 7,1% a mais que março do ano passado. No acumulado dos últimos 12 meses, o setor tem crescimento de 2,0%.
Quanto aos empregos no setor, a entidade esclarece que utiliza como fonte primária o Caged, cuja última edição disponibilizada pelo governo é relativa a dezembro de 2019. Desde então, a versão pública do cadastro não teve atualizações.
Os números apresentados no estudo são relativos a janeiro, fruto de projeções feitas pela FGV, já publicados na edição anterior do índice e que indicavam alta de 0,4% em janeiro. A partir do próximo mês, a Abramat informa que não publicará informações sobre as vagas de emprego no setor até que os dados oficiais sejam atualizados.
Apesar das primeiras medidas de combate à pandemia terem sido tomadas em março, o período compreendido pela atual edição do estudo sofreu interferência mínima das medidas restritivas.
Para a diretoria da entidade, a conjuntura apontada pelos dados pode representar um último fôlego antes das adversidades impostas pelo caráter extraordinário do atual contexto "Os números que vemos no índice foram positivos e isso é importante, sobretudo com as perspectivas da economia brasileira para os próximos meses", pondera Rodrigo Navarro, presidente executivo da Abramat.  Segundo ele, a entidade está com o canal de diálogo aberto e ativo com o governo, buscando a construção conjunta de medidas que possam minimizar os impactos que a recessão econômica de caráter global possa ter no setor.

Fonte: Revista Anamaco